No Volante

Como lidar com o trânsito intenso do feriadão de Carnaval

Você já escolheu a fantasia, os acessórios, a make (muito glitter!) e a cabeça já está no feriadão de Carnaval? Se você pensa em pegar a estrada nesta época do ano, acalme esse coraçãozinho! Aliás, calma, tranquilidade, responsabilidade e segurança são as palavras de ordem quando o assunto é trânsito. Essa foi a ideia principal que ficou da conversa que tivemos  com a Educadora de Trânsito Amarah Leão, que já foi personagem aqui no Minhas Histórias e desenvolve um trabalho lindo de conscientização focado no público feminino.

A ideia principal é a direção defensiva. Então, se não existe a possibilidade de você evitar o horário de pico (considere sair de manhã bem cedo), siga as orientações da Amarah. São elas:

Calma: se o trânsito já está intenso não há nada que você possa fazer pra chegar mais rápido. Diminua a velocidade (acelerar só vai deixá-la ainda mais ansiosa) e permaneça a pelo menos 8 Km/h abaixo do limite de velocidade. Se o limite na estrada é 110 Km/h, reduza para 102 Km/h;

Atenção: fique ainda mais alerta para movimentos repentinos ou inesperados por parte de outros motoristas. O ideal é também manter uma distância extra entre o seu carro e o da frente. Concentre-se na estrada! E a gente nem precisa dizer que não é o momento de mandar mensagem pro crush no Whatsapp e atualizar o Stories do Instagram, certo? Não é por que você diminuiu a velocidade que pode tirar o foco da estrada.

Marcha: Se o seu carro possui câmbio manual, devemos usar principalmente a primeira e segunda marchas. Se o carro tiver transmissão automática, use D3, que é a marcha feita para esse tipo de situação.

Em caso de haver acidente na pista, o que se deve fazer?

Se você pretende ajudar as pessoas que se envolveram em um acidente, nós enfatizamos a  máxima “mantenha a calma”. Verifique se há vítimas e sinalize o local. Acione os serviços de emergência: Polícia Militar (190), Polícia Rodoviária Federal (191), SAMU (192) e Bombeiros (193). E mais:

– Não mude o veículo de lugar;

– Não movimente os feridos (isso pode gerar sequelas graves!);

– Se não há feridos, os veículos devem ser retirados da via para não atrapalhar o trânsito;

O que fazer caso você se envolva em um acidente

“Ninguém espera que um acidente aconteça, eles simplesmente acontecem e nos pegam de surpresa. Nessas horas é importante saber o que fazer sim, e ainda como se comportar”, alerta Amarah. Esperamos que você nunca precise tomar estas atitudes, mas é necessário conhecê-las:

– Anote os dados do outro envolvido, caso seja preciso fazer um boletim de ocorrência (o famoso B.O.);

– Tire fotos do local, placas, situação geral e danos. Anote a data, horário e local do acidente;

Se o acidente machucou alguém, você deve:
– Não remover o veículo;

– Sinalizar o local imediatamente com as luzes de alerta do carro;

– Posicionar o triângulo de segurança em distância segura;

– Ligar para o serviço de emergência médica (lembrando que os Bombeiros atendem no 193 e a SAMU no 192) e detalhar ao máximo a situação dessas pessoas;

– Atenção para esta dica da Amarah, pois é muito importante: “A menos que sejamos um profissional da área da saúde com treinamento de primeiros socorros, em hipótese alguma devemos movimentar as vítimas, pois isso pode agravar alguma fratura, lesão ou sangramento que não pode ser visto”.

Se o acidente não tem lesões corporais, você deve:

– Caso seja possível, remova o carro da via. “Algumas pessoas acham que remover os veículos vai interferir em uma eventual perícia ou algo do tipo, mas, na verdade, os policiais/agentes de trânsito não emitem juízo sobre o acidente e limitam-se apenas a mediar uma situação conflitante e a preencher o boletim de ocorrência”, explica Amarah;

– Caso não seja possível remover o carro da via, é preciso sinalizar o acidente com as luzes de alerta e/ou com o triângulo de segurança em uma distância segura;

– Ligue para o serviço de trânsito (O telefone da Guarda Municipal é o 153 e a Polícia Militar atende no 190) e para um serviço de guincho;

– Tenha sempre à disposição os telefones que citamos acima, da Polícia Rodoviária Estadual (dos estados que fazem parte do seu trajeto) e Federal (191), da concessionária responsável pela estrada (com o roteiro em mãos, faça uma busca na web antes de sair de viagem ou peça para o seu carona anotar quando passarem por uma placa) e o de emergência das rodovias.

O que fazer se o veículo apresentar uma pane?

De novo: fique tranquila. E peça ajuda. “Alguns probleminhas simples podem ser evitados se estivermos com a manutenção do carro em dia”, comenta Amarah. Não saia de viagem sem fazer uma revisão. Mas se, mesmo assim, você deu azar, anote estas dicas:

– Encoste o carro em um recuo (ou acostamento, sinalizando de forma adequada) e chame o reboque para levá-la até a oficina ou local seguro;

– A concessionária responsável pela rodovia pode ajudá-la a se deslocar (e até a trocar pneu!), por isso é importante ter este telefone anotado em algum lugar seguro;

– Nunca conserte o carro na beira da estrada pois isto é uma infração grave.

É uma lista extensa de dicas mas por uma boa causa! Curta o Carnaval e depois venha contar pra gente nos comentários como foi a sua viagem! A gente torce para que você se divirta muito e tenha muitas boas histórias para contar. E não custa nunca lembrar (né, Amarah?): se beber, não dirija.

 

  • No Volante O que é direção defensiva e por que é importante?

    Saiba mais
  • No Volante 5 atitudes que são proibidas no trânsito e você provavelmente não sabia

    Saiba mais