No Volante

Descubra porque as mamães têm potencial para ser motoristas ainda mais incríveis

Que a maternidade é transformadora, todo mundo sabe. Mas você já parou para pensar em todas as habilidades que uma mãe desenvolve a partir da chegada dos filhos? É claro, cada mulher tem uma história, cada mulher vive seus próprios desafios e encara esse momento de um jeito particular. Não é que todas as mães sejam iguais, não. É que uma série de características positivas podem ser reforçadas nessa transformação – e a gente fez uma lista de algumas delas com a colaboração da psicóloga Isabela Cotian. Você já parou para pensar que muitas dessas competências são como superpoderes para outras áreas da vida como, por exemplo, a direção? Confira e conte pra gente se você se identifica!

Planejamento

Uma das regras fundamentais da direção segura é o planejamento: verificar o trajeto, garantir que o carro está em boas condições, sair de casa com antecedência. Tudo isso garante uma viagem mais tranquila, na qual sua única preocupação é mesmo o trânsito ao seu redor.

Ao cuidar de um bebê, você provavelmente vai desenvolver ao máximo sua capacidade de planejar, ou seja, de tentar prevenir qualquer problema futuro, imaginando imprevistos. Se vai sair com uma criança, precisa antecipar tudo, desde a hora de acordar, até a sequência de atividades antes de sair, passando pela mochila – vai pensar na chance de fazer frio, calor e chuva, tudo ao mesmo tempo.

Presença

Andar com a mente distraída é andar na contramão da direção segura. Você deve permanecer atenta ao momento presente enquanto está no volante. Isso é fundamental para você não provocar acidentes, mas também para reagir de maneira ágil ao que acontece ao seu redor.

As exigências de uma criança pequena geralmente forçam os adultos a se manterem presentes no aqui e agora: “A criança vive o agora. Só existe o hoje. Ela chama para o presente a todo momento. Minha filha, por exemplo, não quer que eu esteja vendo o celular, falando ao telefone ou lendo um livro quando estou com ela. Ela diz: ‘agora é hora de brincar’. Essa presença para o aqui e agora é tão importante – e tão difícil de desenvolver”, explica Isabela, que, além de psicóloga, é mãe de uma menina de três anos e meio.

Por outro lado, o momento de dirigir com uma criança no carro é uma excelente oportunidade para ensiná-la sobre paciência, já que a criança, por viver tão intensamente o momento presente, pode ficar ansiosa com viagens mais longas: “Tem essa questão de ensinar que nem todas as coisas acontecem sempre no nosso próprio tempo”.

Foco na segurança

Pais e mães tendem a estar sempre atentos ao ambiente em que a criança está, para garantir que ela não se coloque em risco. Coisas que, para outras pessoas, não chamam a menor atenção, para os pais são sinais de alerta – uma tomada ou objetos muito pequenos ao alcance de crianças curiosas, por exemplo. Eles também viram experts em perceber pequenos detalhes ou alterações no ambiente: “Como os bebês não tem como falar o que querem, os pais precisam desenvolver essa atenção às necessidades da criança”, descreve Isabela, explicando como essa capacidade de percepção aumenta.

Mais sensíveis e atentos ao que acontece ao redor, também podem antecipar e reagir rapidamente a situações de risco. Esse radar potencializado, é claro, também pode ajudar na hora de dirigir. Não só a preocupação em dirigir de maneira segura aumenta, mas também a atenção a itens como cinto de segurança. O cuidado consigo e com os pequenos pode gerar verdadeiras revoluções em pessoas que antes eram pouco prudentes no trânsito.

Paciência

Respirar fundo, dar colo, sentar ao lado. Às vezes isso é tudo que uma mãe pode fazer quando vê seu filho chorando. Em outras circunstâncias, você terá que assistir ao mesmo filme centenas de vezes. Ou repetir a mesma brincadeira. Paciência e autocontrole são habilidades que provavelmente serão reforçadas na hora de cuidar de uma criança. Você não pode simplesmente falar ou fazer tudo que dá vontade: às vezes precisará esperar pelo tempo da criança, às vezes terá que ter persistência.

Nas grandes cidades, dirigir pode ser um verdadeiro teste de paciência. Congestionamentos, atitudes reprováveis de outros motoristas, aquele sinal que parece que nunca mais vai abrir. Nessas situações, de nada adianta deixar a irritação e a ansiedade tomarem conta. Seu exercício constante de paciência pode reforçar este músculo para que, no trânsito, você encare a espera com mais tranquilidade.

Essas, é claro, são só algumas das habilidades que as mães (e pais!) desenvolvem com a chegada dos filhos – às vezes, quase sem perceber. Você já parou para pensar sobre quais são as suas características positivas que ficaram ainda melhores depois da maternidade? Conte para a gente nos comentários!

 

 

  • No Volante Filmes sobre estrada que vão te inspirar a pegar a direção

    Saiba mais
  • Mecânica Ainda insegura na hora de trocar o pneu? Siga essas dicas!

    Saiba mais