No Volante

Dicas para mulheres grávidas dirigirem com segurança

A gravidez não precisa ser empecilho na hora de dirigir. Assim como outras várias atividades, as mamães motoristas, em sua maioria, podem sim continuar com a rotina à frente do volante. Salvo, claro, casos específicos ou de risco – e aqui é bom frisar: siga sempre as orientações dadas pelo seu médico.

A ginecologista e obstetra da Clínica Proattiva Fernanda Fortuna lembra que o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) não estabelece nenhuma regra para que a mulher pare de dirigir em uma determinada idade gestacional. Logo, na teoria, pode-se dirigir até os últimos momentos da gravidez. “Mas é importante que esse assunto seja discutido com seu obstetra, já que cada gravidez é diferente e nem todas as mulheres passam pelas mesmas situações”, reitera.

Para ajudar com algumas dúvidas bem comuns das motoristas e futuras mamães, fomos atrás de profissionais que entendem do assunto. Veja as orientações para as grávidas dirigirem com segurança tanto no dia a dia, quando na estrada.

Use o cinto de segurança da forma correta

Aqui vale o lembrete: assim como para qualquer outro motorista, o uso do cinto de segurança é imprescindível para as grávidas, independente do mês de gestação. Mas cuide para usá-lo da forma correta. “A alça de baixo do cinto tem que passar embaixo da barriga, bem próxima da virilha; e a alça diagonal, na lateral da barriga e no meio dos seios”, esclarece o fisioterapeuta e sócio-proprietário Rodrigo Moura, do centro de reabilitação e condicionamento físico FortaleSer.

Cuide também o posicionamento do volante e do banco. “O volante deve ficar a uma distância de segurança da barriga. Já os braços, levemente flexionados quando apoiados no volante. Em relação ao posicionamento do banco, a altura deve ser de 110 a 120 graus, e o tronco da mulher deve estar inclinado”, orienta Moura.

Vai viajar? Programe paradas na estrada

Está grávida e vai pegar a estrada? Alguns cuidados podem deixar a viagem menos cansativa, já que as mulheres neste período podem se sentir mais desconfortáveis em trechos longos. “As gestantes são mais propensas a desenvolver varizes, tanto pelo aumento do peso corporal, quanto pelas alterações hormonais do corpo durante a gravidez”, destaca a angiologista e diretora da clínica Varizemed Solange Meyge Evangelista.

A dica da profissional é usar meias elásticas de compressão e, se possível, fazer uma breve parada a cada duas horas para levantar e se movimentar. “Procure também movimentar os pés com frequência, mesmo sentada, ao longo da viagem. Isso favorece a contração da musculatura da perna, ejetando o sangue e evitando que ele fique imobilizado nas pernas”, orienta.

Em caso de enjoo ou mal estar, nada de pegar o volante!

A ginecologista e obstetra Fernanda Fortuna lembra que a gravidez é um período em que a mulher se encontra mais sensível, podendo apresentar sintomas como, por exemplo, enjoo, de mal-estar, vômito e tontura. Logo, nada de pegar no volante se estiver passando por uma situação assim, ok? Até porque, hoje, há uma infinidade de opções, desde chamar um táxi até carros de aplicativos.

Convide alguém pra dar carona

Fernanda também sugere para as grávidas motoristas, sempre que possível, dirigir com alguém do lado. Nunca se sabe o que pode acontecer, né? “Às vezes, mais próximo do parto, a bolsa pode estourar, ou algumas mulheres podem sentir um mal estar, então sempre é bom ter alguém por perto”, indica a ginecologista e obstetra.

E não se esqueça: na dúvida, fale sempre com seu médico

E não custa repetir: em caso de dúvida, sempre questione seu médico. Lembre que cada gravidez é única e cada caso é um caso, certo? 😉

Gostou das dicas? Você está grávida ou tem alguma dúvida sobre o assunto? Ou uma dica para compartilhar? Participe com a gente nos comentários!

  • No Volante Mãe ao volante: sua atitude em relação à direção é inspiração para as crianças

    Saiba mais
  • No Volante Vá com uma amiga: encarar um desafio em parceria torna tudo mais leve

    Saiba mais