No Volante

Encare sem medo as subidas e descidas do caminho!

Para muita gente, o grande desafio do dia a dia no trânsito é estacionar. Para outros, é dirigir à noite. Mas há quem não se importe de fazer um trajeto muito mais longo apenas para evitar seu maior pesadelo: uma subida! Não tem jeito: como em todos os outros desafios do volante, a única maneira de superá-lo é encarando o medo de frente e partindo para a prática.

Além de buscar inspiração, você vai ter que encarar o medo de frente mesmo! A instrutora de trânsito Adriane Toledo, do CFC Via Rápida, de Guarapuava (PR) explica: “Percebo que alguns alunos querem colocar o braço pra fora e fazer sinal para o carro de trás ultrapassar. Isso não pode! Não tem jeito. Vai ter que enfrentar o medo e o melhor jeito para fazer isso é colocando o aprendizado técnico para funcionar”.

Adriane recomenda que o motorista já comece a subida pisando leve, para sinalizar ao motorista de trás que está desacelerando e que vai parar (em um sinal vermelho, por exemplo). Assim, o carro de trás já consegue parar a uma distância maior, aliviando a tensão. Aliás, a dica também serve para você: deixe uma boa distância do carro da frente em uma subida (o suficiente para enxergar os pneus e um pedaço do asfalto). Assim, se o carro da frente descer um pouco, ele não corre o risco de bater no seu. Lembre-se: todo mundo pode falhar nessa hora.

Adriane explica que, para parar e arrancar em subidas, é essencial conhecer o “famoso” ponto da embreagem. “É aquele movimento de tirar o pé mais ou menos até a metade do pedal da embreagem, até sentir uma tremida no veículo. Percebe-se que o carro não vai para trás. Você vai achar o ponto e logo já vai arrancar, tirando o pé do freio com leveza e acelerando”, orienta a instrutora. Manter o carro em equilíbrio com o ponto da embreagem e o acelerador não danifica a mecânica do veículo, explica Adriane.

Ela não recomenda o uso do freio de mão como auxílio para a arrancada – não é permitido utilizá-lo nas provas práticas e, além disso, trata-se de um elemento complicador para a maioria das pessoas. Adriane reconhece que não é um aprendizado simples: “É necessário ter bastante calma e controle emocional. Para ganhar habilidade, tem que conhecer as técnicas, treinar bastante e enfrentar o medo”. Ela gosta de lembrar aos alunos que o nervosismo, nas primeiras saídas, é normal, mas que é importante lembrar que “você domina o carro, e não o contrário”.

Se a maioria das pessoas se preocupa com a subida, vale esclarecer que as descidas também exigem cuidados próprios: “Para descer, nunca deixe em uma marcha leve. A dica é usar, para descer, a mesma marcha que você usaria para subir. Nunca desça com o pé fundo na embreagem, a famosa banguela”, alerta Adriane. Assim, seu controle sobre o carro é maior e você tem menos risco de se envolver em acidentes.

Lembre-se, por fim, de manter os pneus sempre em bom estado de conservação, além de usar calçados adequados, firmes nos pés. Os pneus em dia diminuem as chances de derrapagem, e os calçados adequados e firmes garantem que você tenha um maior controle dos pedais – o que é fundamental para encarar subidas e descidas!

É hora de praticar! Comece em uma subida menos íngreme e, com o tempo, avance para desafios maiores. O importante é não deixar que uma ladeira impeça você de seguir seu caminho!

Os comentários neste site estão temporariamente desativados em respeito à legislação eleitoral. A suspensão será mantida até o fim do primeiro turno das eleições (ou segundo, caso ocorra). Para entrar em contato conosco durante esse período, indicamos os canais disponíveis no site http://www.br.com.br/pc/fale-conosco ou no Serviço de Informação ao Cidadão- SIC – http://www.br.com.br/pc/acesso-a-informacao. Essa restrição se baseia na Instrução Normativa n.01 (11/04/18), da Sec. Esp. Comunicação Social da Presidência da República.