Determinação para ser pioneira no trânsito

Dona Francisca foi uma das primeiras mulheres a dirigir em São Paulo

A Laura Gambini nos contou a história de sua avó Francisca Gambini através do Facebook.

Aprender a dirigir com 36 anos, hoje em dia, pode até ser considerado tardio. Para Francisca Gambini, então, lá em 1960, foi um feito e tanto. Num trânsito em que quase não se viam mulheres, Dona Francisca mudou a lógica e começou a dirigir para ajudar o seu marido no transporte das suas seis filhas.

Segundo Laura Gambini, sua neta, que nos contou a história através da nossa página no Facebook, seu avô só permitiu que Francisca tirasse a carteira porque a instrutora era mulher. Dona Francisca passou o conhecimento adiante e todas as filhas aprenderam a dirigir. Inclusive, Laura aprendeu a dirigir com sua mãe, no sítio da família, no interior de São Paulo.
Duas histórias de sua avó mostram um pouco do cenário da época.

“Ela falava que, em São Paulo, quando os homens a viam dirigindo uma caminhonete, iam todos saindo da frente. A reação dos homens da época era de espanto, por verem uma mulher dirigindo um carro tão grande.”

O outro relato da época é que, quando ela e as irmãs levavam as filhas do sítio à cidade, todas se vestiam de homem para pegar a estrada à noite, por questão de segurança. O automóvel (foto) é uma grande recordação desses tempos, quando os primos e tios se reuniam para viajar ao sítio da família. Era nele também, quando estacionado, que as crianças costumavam brincar.

A história de Dona Francisca Gambini mostra que podemos, sim, com determinação e coragem, enfrentar todas as adversidades para seguir com os nossos sonhos.

Você conhece uma história assim? Conte aqui nos comentários!

  • Minha história Ela foi pioneira na direção de um ônibus na cidade onde mora e sonha com veículos ainda maiores

    Saiba mais
  • Minha história Ela quer que as mulheres assumam seu poder, começando pelo carro

    Saiba mais