Ela segue sua paixão e conquista o mundo sobre duas rodas

Itamara Vilar, 27 anos, viaja de moto e compartilha com a filha o amor pela aventura

Aos 27 anos, Itamara Vilar é uma jovem solteira que mora com a mãe e seus dois filhos, uma menina de 11 anos e um menino de 6, em Taperoá, no interior do Estado da Paraíba. Desde criança, é inexplicavelmente apaixonada por motos: “Minha mãe nunca andou nem de bicicleta. Ela não aprova. Na minha família, não tem ninguém que curta. Meu pai faleceu quando eu tinha 7 meses”. Com tatuagens, vontade de aprender a dirigir um caminhão, e o sonho de viajar o litoral brasileiro sobre duas rodas, Itamara diz que é considerada uma “ovelha desgarrada” pela família e uma “louca” pelos amigos da cidade onde mora. “Já quem eu encontro na estrada me acha uma guerreira”, conta, deixando claro a quais opiniões ela costuma dar ouvidos.

A paixão por viajar surgiu aos 24 anos, quando conseguiu comprar sua primeira moto, fazer uma viagem de pouco mais de 100 quilômetros e participar de seu primeiro evento de motociclismo: “Nunca mais larguei a minha moto. Nunca mais eu quis me separar das estradas”. Ela fala muito sério: em uma de suas aventuras, percorreu mais de 1,1 mil quilômetros em apenas um final de semana. Para ela, a experiência é totalmente diferente de andar de carro: “Algum dia, experimente sair nem que seja na garupa de uma moto. Só quem viaja consegue sentir. Você faz parte da paisagem de todos os lugares por onde passa, conhece um visual diferente, anda por lugares onde um carro não vai”.

Tão bom quanto se sentir livre? Os amigos que Itamara faz pelo caminho. Entre os motociclistas, se sente respeitada e admirada, como se fossem todos parte de uma grande família, de uma irmandade, em que sempre existe alguém disposto a ajudar o outro. As viagens de final de semana são oportunidades para revê-los e colocar a conversa em dia. Sempre que possível, Itamara leva a filha: “Eu acho importante, assim ela já aprende a responsabilidade que é o trânsito – que tem que usar os equipamentos de segurança, tem que ser prestativo, e também tem que saber ter humildade para pedir ajuda quando é necessário. Ela sabe que viajar é o nosso segundo lar, adora conhecer novos lugares e fica triste quando não pode ir comigo”.

Para Itamara, a vontade de ganhar o mundo é maior do que qualquer medo: “Se eu ficar pensando no que vai acontecer se o pneu furar, se um carro bater em mim, aí eu não saio de casa”. E não é que a motociclista já não tenha enfrentado dificuldades na estrada: já precisou ser rebocada até sua casa por conta de uma corrente quebrada; já precisou andar 215 quilômetros sem parar por conta de um problema na bateria.

Nada disso diminuiu a paixão de Itamara: pelo contrário, cada dificuldade superada intensifica a certeza de que as estradas estão aí para serem percorridas sobre duas rodas.

Graças à moto, Itamara conta que conheceu pessoas e lugares que jamais conheceria. Por isso, ela não dá muita atenção a quem critica seu estilo de vida: “Pessoas para criticar sempre aparecem, mas quando você se sente realizada, não existe prêmio ou dinheiro no mundo que pague. Não deixe ninguém falar que você não pode. Pode, sim. A mulher é aquilo que ela quiser ser. Se não souber, aprenda. E depois ganhe o mundo, que o mundo é pequeno para nós”, aconselha.

E o conselho é bom para qualquer coisa que você queira fazer, certo? Dirigir uma moto, um caminhão, um avião, uma empresa, seja o que for que você queira, é importante, antes de tudo, saber que ouvir sua paixão é mais importante do que ouvir as críticas. Sabendo disso, o próximo passo é iniciar a sua própria aventura.

  • Minha história Ela herdou do pai a paixão pelos carros e quer ver ainda mais mulheres no volante

    Juliana Bento de Oliveira hoje tem as estradas do Oeste do Paraná como parte da rotina, mas vencer a prova prática de direção não foi fácil

    Saiba mais
  • Minha história Ela foi surpreendida ao descobrir a paixão por dirigir e agora sonha em ir mais longe

    Nagila Arruda não pensava em ser motorista, mas o acaso e o incentivo do marido mudaram essa história

    Saiba mais