Compartilhar:


Conte sua história.
Lívia Aguiar
Lívia Aguiar Jornalista, escritora e autora do blog Eu sou à toa.

Sem guia, sem agência: como planejar uma viagem independente.

Lívia dá dicas para viajantes independentes e conta sobre suas andanças pelo mundo.

Da série

opcao3_v2






Viajar é maravilhoso! É uma das minhas atividades favoritas no mundo, oportunidade de sair da rotina, experimentar comidas novas, ouvir sotaques e línguas diferentes, ver paisagens incríveis, buscar uma nova perspectiva para as dificuldades que ficaram em casa – e fôlego para resolvê-las na volta. Se for para um lugar que pouca gente já foi e com um quê de aventura, eu acho ainda mais legal. Em 2012, me demiti de um trabalho que não me fazia feliz para dar uma volta no mundo sozinha. O mochilão durou 9 meses e teve orçamento super apertado, mas que me permitiu conhecer 20 países diferentes.

Nesse tempo, galopei de camelo pelo Deserto de Tar na Índia, trabalhei como voluntária numa fazenda orgânica em uma ilha norueguesa cortada pelo Círculo Polar Ártico, peguei carona num caiaque nas montanhas do Laos, voei de balão pela Capadócia, celebrei o Ano Novo Chinês em Hong Kong e o ano novo budista no Mianmar, me hospedei na casa de uma família de beduínos na Jordânia, comi uma porção de insetos sortidos na Tailândia, peguei um trem pra Paris vestindo as roupas tradicionais da Bavária, depois de passar o dia bebendo cerveja com estranhos no Oktoberfest de Munique… ufa, são tantas histórias… algumas delas estão no meu blog, outras ainda precisam ser contadas.

Durante a volta ao mundo, vi paisagens maravilhosas, conheci gente interessante e vivi transformações profundas que mudaram a forma como encaro o mundo. Não estou dizendo que você precisa largar tudo pra buscar a felicidade, como eu fiz (só se quiser, hehe), nem que ao sair em busca da felicidade você vai encontrá-la e ascender ao Nirvana (isso não me aconteceu, sigo procurando!). Mas viajar sozinha, de mochila nas costas ou com mala de rodinha, é mais simples do que se imagina e possível para todas que tiverem vontade. Cuidado que vicia!

livia-mochila-pensativa
Lívia pensativa e com sua mochila (foto: arquivo pessoal).

A viagem começa muito antes do avião, carro, ônibus ou trem até o destino, com o planejamento do onde, quando, como e quais lugares visitar. As agências de turismo que oferecem pacotes completos que me desculpem, mas eu, como gosto de viajar com liberdade para fazer o que eu bem entender, independente, prefiro não deixar nas mãos delas a deliciosa tarefa de planejar minhas viagens. Quando muito, contrato agências para fazer um passeio oferecido por elas, como um tour guiado pela cidade ou trekking de vários dias pelas montanhas, mas para o resto do tempo eu prefiro que o meu tempo fora de casa possa ser exatamente do meu jeito. Possa ser, vale ressaltar, porque os imprevistos vão acontecer! O Petrobras De Carona com Elas me convidou a compartilhar como planejar uma viagem independente e aqui vão as minhas dicas!

capadocia_razoesparaviajar_eusouatoa
(Capadócia. Foto: arquivo pessoal).

Para fazer a sua viagem dos sonhos, o primeiro passo é saber que, uma vez no destino escolhido, tudo pode sair diferente.Faz parte da imprevisibilidade da vida e numa viagem não vai ser diferente, com ou sem agência de turismo por trás do planejamento. Quando viajamos de forma independente, imprevistos são nossa inteira e completa culpa, mas você está completamente livre para mudar de rota e ir atrás de alternativas! Veja as adversidades como oportunidades e suas férias vão ter muitas histórias pra contar quando voltar.

Um ônibus quebrado no meio da estrada pode ser a chance de conhecer o vilarejo ali perto, por exemplo. O hotel que reservou é horrível? Deixe as malas por lá e procure outras opções. Esse “tempo perdido” vale mais a pena do que se forçar a dormir num muquifo cheio de ácaro – e quem sabe você encontra uma pousadinha simpática nas redondezas?Na dúvida do que fazer, pergunte para uma pessoa do local. Você pode descobrir um lugar novo que está fora de qualquer guia!

melhores-coisas-da-vida
(foto: arquivo pessoal).

Passo-a-passo para montar seu roteiro de viagem
Antes de marcar as férias, verifique se as datas pretendidas estão entre as melhores épocas para conhecer o seu destino de viagem – o clima do planeta está maluco, mas certos comportamentos climáticos (ainda) são previsíveis. Evite os Lençóis Maranhenses em janeiro, por exemplo, porque os canais e lagos que povoam nossos sonhos estarão secos. Tampouco planeje ir pra praia na Tailândia em época de monções, sob o risco de ficar ilhada dentro do seu bangalô com vista pra chuva torrencial (a não ser que seja esse o seu objetivo…).

O próximo passo é descobrir quais preparativos são necessários para visitá-lo: vistos, passaporte ou documento de identidade em dia, vacinas obrigatórias e recomendadas, seguro para viagens internacionais. E aí, comprar a passagem de ida e volta e, se necessário, os voos internos. A compra da passagem pode ser um bom momento para acionar uma agência de viagens – dependendo da época, elas conseguem voos mais baratos do que os anunciados pelos sites das companhias aéreas.

Com a parte burocrática já encaminhada, começa a parte legal: planejar o que visitar, onde comer, quais passeios são interessantes, que tipo de atividades estão à disposição A viagem já começa nesses preparativos, sonhando com os cheiros, sabores, sons e experiências que nos aguardam. Guias de viagem (impressos ou digitais, de editoras tradicionais ou autopublicados por blogs que você curte) são ótimos para dar ideias do que fazer. Também gosto de pesquisar nos blogs que eu acompanho e procurar por outros especializados no destino. E, claro, não deixo de pegar dicas com amigos e conhecidos que eu acho que têm a mesma vibe de viagens que eu e que já foram pra região.

mercado-mandalay-eusouatoa
(Mercado Mandalay. Foto: arquivo pessoal).

A partir de todas essas informações, monte um painel de possibilidades na viagem. Não sei o quão organizada você é, mas eu sou um desastre nesse quesito, por isso eu sou a louca do caderninho. Começo a planejar a viagem com um no colo, fazendo listas do que preciso resolver, anotando lugares pra ir e outras ideias. Não quer carregar um caderno? Tudo bem, você pode criar um documento no Google Docs, notas no celular ou como preferir. Só não deixe de registrar em um lugar que vai estar com você quando estiver na viagem, essa pesquisa poderá ajudar a montar um Plano B durante a viagem, se alguma coisa do Plano A não der certo.

Com tudo em mãos, vem a tarefa difícil de montar um cronograma de viagem, levando em conta dias e horários de funcionamento (dia grátis no museu é dia de ir em museu!) e tempos de deslocamento de um lugar a outro, para montar um plano possível de cumprir. É melhor concentrar atividades na mesma região no mesmo dia e pegar vôos e ônibus à noite para não cortar o dia com deslocamentos.

Com essas informações em mãos, já dá pra reservar um hotel/hostel/Airbnb que esteja em uma região bacana e de fácil acesso aos passeios, perto de muitas opções para o café da manhã e/ou das diversões noturnas. Se o lugar atender aos três requisitos, melhor ainda! Caso queira fazer uma atividade que requer contratação prévia de uma agência (a Trilha Inca a Machu Picchu, por exemplo), pesquise bem as opções e recomendações de outros viajantes antes de decidir a melhor opção para você.

E pronto, só falta fazer a mala e partir! Para não esquecer de nada, antes de viajar faça uma lista de tudo que precisa levar. Eu na verdade faço duas listas, uma com os itens imprescindíveis como documentos, comprovantes de reserva, dinheiro de emergência, câmera fotográfica, celular, cartões e remédios. Na outra, listo os itens que preciso levar na mochila (ou mala) grande, como roupas, sapatos confortáveis e adequados para a viagem, kit de primeiros socorros, artigos de higiene pessoal e beleza, etc. Se a mala grande for extraviada ou se você esquecer algum dos itens da segunda lista, basta comprar durante a viagem! Na mala grande não deve ir nenhum item que não possa se perder no caminho. Mantenha seus pertences mais valiosos sempre com você, na mala de mão e, se a preocupação com roubos e furtos for grande, vale a pena fazer um seguro dos eletrônicos. Assim, você vai mais tranquila, com uma única missão: aproveitar a viagem!



Veja Mais:

Em vídeo, Lívia responde: Qual a experiência de viagem mais incrível que você já teve?

Lívia Aguiar, 29, Belo Horizonte, jornalista, escritora e autora do blog Eu sou à toa, onde dá dicas para viajantes independentes e conta sobre suas andanças pelo mundo.
Blog: http://eusouatoa.com/
Twitter, Insta e Snapchat: @eusouatoa
Facebook:: /eusouatoablog

Veja também:

A Jessica de cada uma – ou como encontrar uma mulher que viaja mudou minha estrada.
A Joana acredita que as viagens de cada um podem mudar o mundo.

Como se preparar para uma viagem sozinha
A Gaía conta histórias de suas viagens pelo mundo e dá dicas para viajantes solo.

Corações partidos, superação, amizades, amores de verão: tem algo mágico em viajar.
Viajar é uma forma de abrir portas para possibilidades que no cotidiano você negaria.

Toda viagem é uma primeira vez – ou melhor, várias primeiras vezes.
Sair de casa para outra cidade é uma grande oportunidade de viver várias novas experiências.



Comentários: